O lançamento do Ford 1949 na Wigg S.A.

O segundo  post de hoje é para mim muito especial, uma oportunidade rara.

Eu recebi estas fotos do Luiz Alfredo Sampayo, umas duas semanas atrás. Gastei horas admirando-as. É um quebra-cabeças histórico completo, de um período extremamente carente de registros, seja aqui, seja nos EUA. Me refiro ao lançamento do Ford 1949, que aqui hoje se mostra como foi feito pela extinta Wigg S.A. em Rio Grande, Rio Grande do Sul.

Para que se dê o devido valor a estas duas fotos, de 1949, registro que eu ainda não encontrei foto similar nos Estados Unidos, seja na web, bibliotecas on line, Ford Media e os poucos livros a que tive acesso. Do showrrom ou do dealership da Ford em 1949, parece não haver registro fotográfico! E, ainda mais estranho, nem mesmo da retumbante festa de lançamento do novo Ford 1949 no Waldorf Astoria, em Nova York em abril de 1948, amplamente coberto pela mídia como sabemos, eu consegui fotos ainda. Se você as têm, mande para mim, por favor.

Eis então um dos méritos das fotos que o Luiz Alfredo, amigo particular da família Wigg, me mandou. É o registro histórico do nascimento deste automóvel e, melhor ainda, no Brasil. Além deste, mas não dentro do revendedor, só conheço a foto do Guilherme do Antigos Verde e Amarelo e que eu republiquei aqui outra vez.

Tudo nesta foto é simples e autêntico: a forma meticulosa com que as flores foram dispostas em torno do impecável Club Coupe, o caminhão mais ao fundo, a placa da Ford. O prédio da Wigg, que se vê a seguir e fotografado na mesma época, é muito bonito. Repare que, entre outros carros, há dois outros shoebox do lado de fora, sendo um Coupe e ou outro Sedan.

Agora, abaixo, uma outra vista do prédio da Wigg, clicada uns dois anos antes. O Luiz chama a atenção para a ausência da oficina em anexo ao prédio, como se vê na foto acima, e que por esta época ainda era do outro lado da rua. Ele ainda diz que o belo Lincoln Club Coupê (UAU!) estacionado era de um dos donos da Wigg.

Por último, as fotos do prédio da Wigg, que ainda está de pé, como testemunha viva dos tempos passados que estas fotografias ajudam a preservar, difundir e resgatar. Acho que não devem existir muitos casos como este no Brasil, de um prédio de 1870 e que foi uma importante revenda de automóveis e ainda está de pé. Aliás, pouco sei sobre a Wigg. Quem puder ilustrar com mais notícias, fica aqui o convite.

Ao prezado amigo Luiz Alfredo Sampayo e à família Wigg que cedeu as fotos, meu muito obrigado pelo presente especial.

Aproveito a deixa para anunciar um blog novo que estou construindo, exclusivamente dedicado aos Fords produzidos entre 1949 e 1951, os chamados Shoebox.

Vou republicar este post lá e convido os interessados a compartilharem fotos antigas, lembranças e o que mais tiverem sobre estes automóveis fascinantes. Quem quiser ver os anúncios americanos de época, pode ver aqui. Videos, estão aqui. E fotos de alguns Fords brasileiros, neste link. As fotos do desenvolvimento, linha de montagem da Ford e afins, estão aqui. Espero que gostem e que me ajudem a divulgar o blog, com o intuito de atrair proprietários, interessados e apaixonados por este carrinho especial.

15 comentários sobre “O lançamento do Ford 1949 na Wigg S.A.

  1. MAKINETA disse:

    PARABENS NIK
    BELAS FOTOS MESMOOOOOOOOOO QUE PREDIO BACANA… QUE DETALHES IMAGINO COM O FERRAMENTAL DE EPOCA COMO ERA DIFICIL FAZER UMA CONSTRUÇAO ASSIM QUASE TRABALHO ESCRAVO(SE NAO FOI…) MUITO BACANA…

    O PREDIO DA ANASA ERA UM MARCO AQUI EM NITEROI DECADAS ATRAS COMO FOI O DA EXTINTA DACON EM SP DO GENIO PAULO GOULART

    ABRAÇAO

  2. nerddecarro disse:

    Nik,

    História e fotos fantásticas! Você esta fazendo que várias pessoas se apaixonem pelos Shoebox, inclusive eu… Mas minha paixão derradeira é o Ford 1941 – 1948 Coupe. hehe

    Makineta,

    É triste ver o prédio da Anasa abandonado daquele jeito. Tive o privilégio de tirar um carro 0km de lá.
    Existe uma comunidade no Orkut de ex-funcionários. A maioria dos relatos são positivos e destacam a bondade do proprietário da concessionária.

    Dionisio DNS19

  3. Luiz Sampayo disse:

    Nikollas, correção: o Luiz Antonio Cassarriego, meu fraternal amigo eh esposo da Marylin, neta do Mr. Wigg, big boss da tradicional mas extinta Revenda Ford. Ab Luiz Alfredo Sampayo

  4. Guilherme Gomes disse:

    Nik, coisa fantástica essa foto. Você bem deve estar calculando o quanto eu gostei… Dá pra viajar bastante na imaginação!
    Abração.

  5. Nikollas Ramos disse:

    Sim, estas fotos do Luiz são um tesouro. Não esqueçam de ver as outras fotos que ele mandou, no post seguinte, com os Fords atravessando os arroios. Maravilhosas as fotos e as histórias que elas contam.

  6. MAKINETA disse:

    A ANASA PARECE QUE O PROBLEMA FOI DESENTENDIMENTO ENTRE OS HERDEIROS,COMO FATALMENTE ACONTECE NA MAIORIA DAS FAMILIAS BRASILEIRAS… UM PENA

    MAS PARECE QUE FOI VENDIDA A AREA,NAO SEI AO CERTO, DEVE VIRAR CONDOMINIO RESIDENCIAL PROVAVELMENTE… AREA MUITO VALORIZADA.

  7. Luiz Sampayo disse:

    Nikollas, meu caro, +1 correção se me permite: as photos da revenda Ford/Wigg de Rio Grande,RS de fato foram postadas por mim, porém as seguintes com os Ford A a caminho da fazenda, foram remetidas a meu pedido, pelo meu caro amigo Luiz Antonio Cassarriego esposo da Marylin neta do big boss da firma aqui citada. Com certeza em breve,êle fornecerah para arquivo desse blogger, mais photos de seu precioso acervo relacionadas a veteran cars. Oportunamente vou examinar alguns albuns que tenho em mãos, inclusive com photos pelos caminhos do Rio antigo e tbm pelos quais circulavam nossos VCs em direção ao Uruguay e Argentina com viagens incentivadas pelo nosso extinto Touring Club. Ab Luiz Alfredo

  8. Mário Buzian disse:

    Nik, imagens sensacionais !!!
    Ainda não conheço a cidade de Rio Grande, mas já deu vontade de ir só de olhar para as fotos…
    Grande abraço da turma do Sul !!

  9. Nanael Soubaim disse:

    As photographias são belas, sem dúvida, mas é triste ver um prédio com essa importância histórica neste estado. Vejo que, embora tenha abrigado uma empresa autêrntica, hoje (parcialmente) abriga uma marca que copia motocicletas chinesas. Nada contra as ditas, mas eu preferiria ver um Fiesta (e olha que não simpatizo muito com ele) exposto lá dentro.

  10. Nikollas Ramos disse:

    Luiz, desculpa o novo engano… Ainda bem que nõa é uma revista impressa! Vou corrigir de novo e, sim, aguardamos todos mais fotos do baú de vocês todos. Me desculpe mais uma vez.

  11. Flávio Furtado disse:

    Pessoal, parem de dar cachaça pro Nik!!! rsrsrs

    Nik, muito legal que você conseguir reunir tanta informação interessante por aqui. Belíssimas fotos, hein… Que achado!

    F.

  12. Nanael Soubaim disse:

    Há algo na imagem de época que me deslumbra. Algo aparentemente banal, mas que faz uma tremenda falta em Goiãnia: fiação aérea para bondes e trólebus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s