Tabela de preços de automóveis no Rio em 1959.

tabela_rj_carros_1959Esta tabela de preços veio da edição de junho de 1959 da Revista “Carros à Vista”. Os preços dos carros podem ser atualizados, aqui neste link. Quem se habilita? Fiz umas duas conversões e os valores são surpreendentes.

Não acho boa idéia alguém mostrar isso ao Sr. Og, ele pode cair em desgosto por não ter comprado mais carros! ;)

Para ver os outros posts sobre a Revista “Carros à Vista”, clique aqui.

IV Rally Rio-Juiz de Fora, 1956

Esta reportagem também faz parte da edição de novembro de 1956 da Revista “Carros à Vista”, que venho publicando aqui.

É tão antiga que rally era grafado “ralley”. Na verdade, uma gincana entre amigos, com seus carros de uso diário. Alguns, com seus esportivos ingleses, se divertiram mais do que os outros, mas assim é sempre a vida, certo?

det2

revista_carro_vista_10Acima, na primeira foto em detalhe, um Oldsmobile 1952 modelo 88 ou 98, difícil saber deste ângulo, alinhado para a largada, provavelmente no Rio. Os “Rocket” Oldsmobile deste ano tinham como opcional, pela primeira vez, o “Autronic Eye”, peça de ficção científica que, de sua posição em cima do painel, detectava o farol de um carro em sentido contrário e automaticamente comutava a luz para a posição baixa. Sempre quis saber se o funcionamento desta peça era pacífico ou não, se flutuava… No outro detalhe, abaixo, eu acho que é um MG. Na reportagem inteira, ao lado, a lista dos vencedores e seus respectivos automóveis.

det1

Destruction Derby no Rio de Janeiro?

Pelo que se lê nessa matéria da “Carros à Vista”, os derby de destruição foram realizados em pleno Rio de Janeiro dos anos 50, quem poderia imaginar? O espetáculo chocou os editores da revista, que não economizaram munição contra este “carnaval da morte” como chamaram o evento que viram em pleno Estádio do Fluminense, nas Laranjeiras, em 1956.

As duas primeiras fotos abaixo são deste espetáculo nas Laranjeiras. Não consegui imaginar o carro que está embaixo, todo destruído. O de cima me parece um Ford five windows e os pilotos era um certo Gil de Lamare e Collete Duval. Incrível esta história.

Alguém sabe mais aguma coisa sobre estes eventos no Rio de Janeiro? A última foto deve ser da escola de “formação de volantes” nos EUA, que eles tratam à pedrada! Vale a leitura esta matéria, com certeza.

Esta edição da Carros à vista é de novembro de 1956 e para você ver o que mais já foi publicado sobre ela, o caminho é este aqui.

A matéria completa está no final, em duas páginas.

carrosantigos_wordpress_29carrosantigos_wordpress_27carrosantigos_wordpress_28

revista_carro_vista_08revista_carro_vista_09

Volta Redonda e os Diários Associados

Em Volta Redonda, mais uma etapa do “Grande Campeonato de Circuitos Carros à Vista”. Abaixo, o Jaguar de Mário Celli e Armando Silva e as Maseratis de Pinheiro Pires e Primo Rico. Prova vencida por Godofredo Viana. Casini bateu mas o “carro estará pronto em alguns dias – culpa de seu entusiasmo”.

volta_redonda1volta_redonda_02volta_redonda_03

As páginas desta matéria, na íntegra, abaixo.

revista_carro_vista_22revista_carro_vista_23

Os anúncios são sempre um prazer à parte. Abaixo, Henle Motor Oil.

volta_redonda_041

Brasilarg Ltda.

Brasilarg Ltda. Oficina Mecânica de Automóveis.

Rua Adalberto Ferreira, nº 20, Leblon, Rio de Janeiro. Fone: 47-4481.

Técnicos da General Motors. Especializada em Hydramatic, Fluid Drive, Power Glide, Dynaflow, Ultramatic e Giromatic.

brasilarg11

Agora me diga, quantos segredos, mumunhas, dicas e talento se encerraram com a Brasilarg? Um monte, né?

Anúncio de 1956, também da “Carro à Vista”.

Lan, Chico Landi e o golpe dos “vinte”

O Lan eu conheço muito bem. Sou leitor veterano do JB e me criei vendo os desenhos daquelas mulatas, achando aquilo o máximo de estilo que um desenhista pode querer na vida. O “Francisco (Chico) Landi” também, pois se não. Mas, que raios deve ser o tal do golde dos “vinte”?

Numa mesma página da revista “Carros à Vista” estão a caricatura do Landi feita pelo Lan e esta coluna “Cano de descarga” assinada por um tal “Pé na Tábua”. Isso parece coisa do falecido Fausto Wolf mas ele ainda devia estar em POA nessa época. Mas o veneno é o mesmo, vejam quanta intriga ness coluna do “Pé na tábua”.

Aliás, alguém sabe o que é esse tal golpe dos “vinte”? Deve ter sido algo terrível!

landi_lan1

golpe_dos_vinte1

Da revista “Carros à Vista – A revista dos Desportos Mecânicos”, publicada no Rio de Janeiro, edição de novembro de 1956.

A capa e o expediente deste número da revista foram publicados antes. Para vê-los, clique aqui.

Para ver tudo sobre a revista, o caminho é esse aqui.

No Rio Grande do Sul…

Da revista “Carros à Vista – A revista dos Desportos Mecânicos”, publicada no Rio de Janeiro, edição de novembro de 1956.

A capa e o expediente deste número da revista foram publicados antes. Para vê-los, clique aqui.

Para ver tudo sobre a revista, o caminho é esse aqui.

01

0302

Abaixo, as duas páginas completas da matéria sobre o Rio Grande do Sul. Para ampliar, clique sobre elas. Seu comentário é muito bem-vindo.

revista_carro_vista_38revista_carro_vista_39

Carro à Vista!

revista_carro_vista_011

Há alguns meses atrás, seguindo a dica de um bom amigo, corri para um sebo aqui no Rio atrás de alguns livros sobre carros que, ele achava, seriam do meu interesse. Os livros eram ruins, acabei comprando pelo preço bem camarada. Mas, o mesmo não posso dizer sobre as revistas que o livreiro tinha ali… Um achado e tanto!

Eu acabei comprando algumas revistas meio a contra-gosto, confesso. Especialmente umas bem grandonas, com cara de muito antigas e que, estava na capa, foram publicadas aqui no Rio de Janeiro a partir de 1956, chamadas “Carro à Vista!”. Levei as “Motor Trend” da década de 60 e estas nacionais para não me acusarem de traição à pátria, enfim. Afinal, quem já tinha ouvido falar nelas antes? Eu é que não.

revista_carro_vista_02

Segunda capa da revista com o reclame do anunciante Rádio Continental e o eterno Waldir Amaral. Repare o detalhe da bandeirinha e o time de radialistas.

Na verdade, por ignorância a maior surpresa foram estas revistas brasileiras, cujo título completo  é “Carro à Vista! A Revista dos Desportos Mecânicos”. Adianto que me apaixonei ainda mais pelo nosso país depois de ler estes 16 exemplares da “Carros à Vista!” que eu trouxe para casa. Diante de mim estava a história do automobilismo nacional em sua melhor década. As aventuras e desventuras de uma geração registradas em celulose. O esforço imenso que foi feito pelos Editores nos legou um raro e único apanhado sobre aquele momento da nossa história, com grande qualidade editorial mesmo se comparada aos dias de hoje. A Revista, ao longo dos anos, foi mudando e com ela a nossa indústria e o nosso país. Se no exemplar mais antigo que tenho (início de 1956) a tônica são os movimentos em torno da implantação da indústria automobilística nacional (JK era tratado com imensa reverência e carinho, vocês verão logo), anos mais tarde eles estão concentrados na construção de Jacarepaguá e lamentando a falta de uma política pública de incentivo ao automobilismo e de patrocinadores aos eventos que antes pululavam em cada canto do país. Enfim, o que eu gostaria de dividir com você é este tesouro que, acredito, se veio parar aqui em casa foi por um bom motivo, que eu acredito seja este, compartilhar.

det_01

Sim, novembro de 1956, no Rio de Janeiro uma revista sobre o automobilismo. Você já conhecia esta Revista?

Estou digitalizando a revista e isso vai tomar ainda um bom tempo. O formato delas é grande, são maiores que uma folha comum e isso exige um $canner incomum. Apesar de em perfeito estado de conservação, elas exigem cuidados. Mas, uma edição já foi toda digitalizada. Estou tratando as imagens para publicar aqui a partir de amanhã.

det_02

Acima, detalhe da capa e o conteúdo da edição de novembro de 1956. “Volantes” são os motoristas. Aliás, a palavra mais repetida em toda a revista.

A revista é um material rico e fonte de pesquisa para pessoas com interesses diversos. Nos primeiros números eles tratavam também do nautimodelismo, do motociclismo, do aeromodelismo (em 1956…) e outras manifestações do esporte a motor. Eles tinham uma coluna social vigorosa e uma tabela de preços dos carros novos e usados na praça do Rio de Janeiro que vai ser um direto no queixo de quem se interessa pelo assunto, tal a quantidade e qualidade dos modelos listados ali. Ainda havia espaço para as charges (do Lan!), cartoons e amenidades. Como o foco era o automóvel ali estão registrados eventos no Rio, Niterói, Volta Redonda, São Paulo, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo e Minas Gerais entre outros .Tudo isso numa época em que se deslocar por este país era um suplício eles conseguim um jeito de estar lá para registrar o evento. Não raro, os editores se desculpam por não poderem estar presentes em tantos locais aos quais são convidados. Ainda há anúnciosa de diversas oficinas e retíficas de São Paulo e Rio que devem ter tido lugar na história do automóvel aqui. Enfim, uma revista rica em referências.

det_04

Borrachas Casini? Não conheço. Cometi uma gafe? Ajude então, pois estamos falando de um Brasil que eu não vivi!

Amigo, percebeu que o que vêm pela frente é um pouco de cada um de nós? É a nossa história, dos que vieram antes de nós e por isso merecer ter sua história contada e celebrada. Esta é a minha homenagem a todos eles.

det_05

Acima, pedaço da matéria sobre o Campeonato de Estradas “Carro à Vista!” com fotos da etapa no que parece ser o Rio de Janeiro. Segundo a matéria, na etapa de Caxambu o destaque coube a Celso Lara Barberis (foto à direita) da Escuderia Otoline e seu Ford Thunderbird. Alguém aí pode dizer mais sobre quem foram estas pessoas? Por favor, seu comentário nunca foi tão bem vindo e necessário. Se de tudo ninguém puder ajudar, eu vou apelar pro Saloma!

Abaixo, segunda página da Revista, com o expediente e Editorial. Leitura obrigatória.

revista_carro_vista_031