Carleson Ford, 1937

Estava vendo um dos últimos posts do Guilherme no AVA, com várias fotos de uma Agência Ford nos anos 30/40 em São Paulo, e me lembrei destas fotos aqui. Semelhantes.
O negócio do senhor Frederick Carleson foi próspero, há algumas coisas interessantes da história dele disponível por aí. Um resumo biográfico:

“Fredrick A. Carleson (1896-1993) owned a Pontiac-Cadillac dealership in Salt Lake City. He took over the Ford dealership in Salt Lake City in 1934 which then became an Intermountain Area dealer for Pontiac-Cadillac. Carleson was president of the Utah Automobile Dealers Association during the late 1970s. He was married to Lucille Iredale (1897-1992), who wrote and published poetry.”

Ele estava no cliclo todo, gasolina, pneus, serviços e automóveis. O showroom dele é grande, e além dos Fords ele também vendia Lincolns e o novato Zephyr, como se vê nestas fotos de 1937. O que deve indicar volume de vendas, prestígio e et cetera.
Acessórios é aquela história mínima: calota, manopla e super safety extra brakes! A piada pronta da Ford.
O Conversível deste ano é uma coisa linda, acho que uma unanimidade. Ter um na loja indica público seleto, com bom gosto. Ele só têm coisas caras em seu inventário.
E, afinal, o prédio é lindo, o conjunto é muito bonito. Completo.

Ford dealership, 1935

Algumas coisas que me chamaram a atenção neste showroom da Ford: o motor do chassi em exibição, aliás ricamente cromado e detalhado, está funcionando. À direita, um eixo dianteiro com um cabo conectado a ele. Provavelmente para exibir a eficiência (sic) dos novos freios da Ford. E o piso, do jeito que a turma gosta. Nunca entendi o motivo de se apreciar tanto esse tabuleiro de xadrez, mas respeito.

O homem de vendas, este soldado incansável, é dos bons. As pessoas realmente estão prestando atenção ao que diz. Da mesma forma, o operário solitário que, debruçado sobre o que deve ser o rádio disponível como acessório, acalenta seus sonhos, ainda com o macacão da luta diária.

Antes, o detalhe do cartaz na vitrine, que convidada os transeuntes a conhecerem os novos Fords. Aqui eu me superei: usando a mágica inexplicável do Photoshop, e um efeito sobrenatural que espelha uma imagem na horizontal, consegui decifrar seus dizeres que estavam invertidos! Impressionante essa tecnologia.

Service as Good as the Car Itself, 1936

Instaheat. Esta placa é linda. Pena que não vejo os detalhes. E não achei esta ilustração em anúncios da época.

E o Kit para o Picnic? Carvão Ford: “Queima como um Plymouth”, será que alguém fez essa piada na época?

Your Ford needs a Bakerized Inspection

As concessionárias resolveram, há quanto tempo, esconder do cliente o acesso às peças do seu automóvel? Era como loja de brinquedos: pegue, sinta, toque, admire, compre. Hoje, balcão nu, um sujeito estressado atendendo você e as seguradoras ao telefone, um código, um toque no teclado, um elevador com a peça, um cartão de crédito – próximo.

Eles perderam o orgulho de suas pastilhas de freio, ou reconhecem que não há nada de interessante a ser exibido?

Clique sem dó nas fotos, elas são realmente muito grandes.

Ford Baker Motor Co. em 1936.

Newspaper Archive

Bom, serei breve. Se pesquisa te interessa, sobre qualquer assunto, jornais devem ser uma boa fonte primária de informação. Para os americanos, principalmente eles, existe o extraordinário site Newspaper Archive que traz jornais desde… o século XVIII, eu acho.

Bom, sobre automóveis, a dica é a seguinte. Vá em busca avançada e coloque algo mais que “1957 Chevrolet” – isso é um termo aberto de mais. Coloque um slogan da época, uma frase consistente, se não os resultados escorrem pelo monitor, de tantos. Limite pelo país (USA) ou quem sabe até pelo Estado, ou faça uma busca boleana (uau!), ou tente tudo isso junto e ao mesmo tempo, pois sempre, sempre aparecem resultados novos a cada idéia de busca. Acredite, passei três meses pesquisando somente os Ford shoebox por lá, e desconfio que ainda nem arranhei a superfície.

Eis por exemplo o resultado de busca por um slogan dos Fords, “try the new feel” limitado ao período de 1948 a 1951.

http://newspaperarchive.com/tags/try-the-new-feel?pci=7&ndt=by&py=1948&pey=1951

Seria legal que esta fonte de informação, que eu só descobri no ano passado, fosse procurada por mais pessoas com propósitos diferentes. Veríamos aflorar na internet uma quantidade enorme de peças esquecidas pelo tempo.

Uma coisa que pretendo buscar em breve, mas é difícil por não ser uma marca, mas um mercado, que são os acessórios para os automóveis. Imagine década após década, do Ford T ao Cuda, os inúmeros fabricantes de acessórios e customizações disponíves? Um banho de cultura, resgatada diretamente do fundo do baú.

Se você pagar a assinatura, baratinha e vale a pena, você ganha o direito de fazer o download das páginas em PDF de altíssima resolução. Adianto, é um trabalho braçal, meio repetitivo e cansativo, mas quando eu olho as centenas de coisas novas sobre os Fords que eu desentoquei, abro um sorriso.

Divirta-se.