Acharam: 11 Norton 1975 ainda na caixa…

Parece piada.

O cara é um entusiasta de motos, comerciante estabelecido  por muitos anos, colecionador conhecido pelo grande acervo e por ser, ao mesmo tempo, uma pessoa difícil e temperamental. Não abria mão de nada, negava tudo até vencer os interessados em suas peças e motos antigas pelo cansaço. Parece alguém que você conhece? Eu também.

Mas não é. Trata-se de um outro escroto. É o falecido dono da Motoshop Podevyn em Aalst, Bélgica. Colecionador de motos, com um perfil comum aí entre o nosso círculo de conhecidos. Agora que morreu, o que aconteceu? Entre suas coisas acharam 11 Nortons Commando Interstate ainda na caixa, aguardando a montagem final – entre outras preciosidades.

Absurdo, não? O cara se achava Tutankamon! “Vai tudo comigo para a cripta, motos, peças e o escambau! Dali, da minha pirâmide, viverei a eternidade cavalgando minhas bikes!” Coitado.

Sirva de lição para você que é um egoísta, que não divide nada do que têm, que quer mais do que precisa ter, faz segredos sobre aquilo que aproveitaria a outro: tu vai morrer um dia e vai tudo para a mão dos outros! Com dizia vovô Antônio Ramos: eu não sou dono de nada, só estou tomando conta pro próximo dono.

E viva a generosidade. Que esse é o tipo de atitude que não constrói nada.

As motos estão à venda, o link segue abaixo, no blog do Alexandre.

Ainda acharam essa aqui, uma tal Matchless G80 com motorização Rotax(?).

Notícia via o blog do amigo Alexandre Machado.

Anúncios

28 comentários sobre “Acharam: 11 Norton 1975 ainda na caixa…

  1. David disse:

    Que cara mais doente… Moto na caixa… Só falta agora alguém aparecer com um containers originais de carros antigos em CKD ainda esperando a montagem…

    Eu sempre achei que carros e motos foram feitos para rodar, independente de serem antigos ou novos, ao invés de ficarem intocados na garagem ou de – no caso dos antigos – irem para encontros apenas em cegonhas.

    Imagina que se eu tivesse um Hemi-‘Cuda ’71 conversível dos meus sonhos, cê acha que eu o deixaria na garagem e debaixo da lona ao invés de aproveitar o clima da minha terra??

  2. Nanael Soubaim disse:

    Se brincar, até os germes de época estão lá. O antigomobilismo agradece ao Mané-minha-égua por ter preservado tão bem onze exemplares que, no Brasil, receberiam placa-preta com louvor.

    Atenção, garotada, não guardem aquele Cadillac V16 que o Zé Umbigo e o Zezinho Umbigo deixaram preservado em cera de carnaúba, revelem-no que as ofertas aparecem, e a cultura mundial agradece.

  3. leonardo grecchi disse:

    Nik:

    A tal Matchless é uma p*** marca inglesa, com a Rudge, HRD, Vincent, Brough, Ariel, Royal Enfield (hoje fabricada na India), etc…

    O motor não deve ser Rotax: essa marca é Austriaca, fabricante de motores genéricos, equipando hoje quadriciclos, jet-ski e algumas KTM de cross. ‘Nesta época, não havia a globalização de hoje, sendo adiquirido equipamentos e acessórios de seu próprio pais. Havia, sim, muito “Frankenstein”, como as “Café Racer” Triton: Motor Norton e quadro Triumph.

    Aguarde um pouco que direi qual o provável fornecedor desse motor; ou corrigir o que escrevi acima…

  4. leonardo grecchi disse:

    Nik:

    Observando a Matchless, vi que a suspensão dianteira é “upside-down”, ou seja, o peso morto do amortecedor fica próximo à roda (veja que a parte mais “gorda” é a de baixo). Isso é uma montagem moderna.
    Entrei no blog e vi que o ano é 1989. Portanto, perfeitamente plausível ser um motor Rotax.
    SEU FILHO-DA-MÃE! VOCÊ NÃO BOTOU A FOTO DA NORTON COMMANDO 850 NO BLOG! ISSO NÃO SE FAZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. James disse:

    Tive um chefe assim. Ele tinha 7 carros (Civic, Xavante, X12, Pampa, Escort, 147, Pampa)apodrecendo ao relento e ainda computadores, geladeiras, freezers, peças de móvel e outros eletrodomesticos da mesma maneira que não vendia por nada. Pessoas assim devem ter algum problema na cabeça.

  6. leonardo grecchi disse:

    Assistam “Obsessivo Compulsivo” no canal A&E da Sky (50). 3af., 22:00h, fala exatamente sobre isso!

  7. Mário Buzian disse:

    Nik,

    Eu tenho uma estória interessante e bem parecida com a desse cara…Em 1988 comprei o meu sonho de moto naquela época; uma CB 400 Four vermelha, ano 1976, e que estava guardadinha NA CAIXA, assim como essas motos das fotos !!
    O curioso é que eu conheci nos tempos de faculdade um sujeito que depois se virou um grande amigo, seu pai era dono de uma das maiores lojas de motos da Honda no Brasil, e eles acabaram arrematando por vários anos todos os lotes de motos da marca que eram oferecidos pelas apreensões da Policia Federal…Resultado: o homem possuía praticamente TODOS os modelos fabricados pela Honda ainda nas caixas originais !!
    Um dia visitando a sua casa ele me mostrou parte desse acervo, e brincando, me perguntou qual seria a moto ideal se eu pudesse voltar no tempo e adquirir uma zero km., na caixa…A resposta foi imediata: 400 FOUR !!
    Sempre fui tarado por essa máquina, mas nunca achei uma que estivesse em bom estado e com um preço razoável…
    Depois de alguns meses o meu amigo me procura na faculdade e me avisa que seu pai iria vender uma moto da coleção de caixas para poder participar de outro leilão…Nem pensei duas vezes, corri pra loja lá na Barão de Limeira com General Osório, no centro velho de SP, e na famosa “Boca das Motos”, e falei com o homem, que me vendeu a raridade (ele ainda tinha mais duas na caixa !!) pelo mesmo preço de um Honda CBX 750 F zero km.
    Fui atrás da grana, vendi um Gol que tinha e ele mandou seu mecânico de confiança montar e regular a criança…Saí da loja num sábado à tarde quase desmaiando de tanto tesão, heheheh !!
    Na semana seguinte eu emplaquei a bichinha com o numeral CF-400, placa amarela ainda, e curti essa motos por uns seis meses…
    Rodei bem pouco com ela, e uma belo dia fui a um encontro do Centauro Moto Club em Santos/SP, e lá um cara cabeludo endoideceu quando viu a motoca, me rodeou e queria saber quem tinha restaurado a criança, e ele não acreditava que ela era ORIGINAL, enfim…Depois de muita choradeira o sujeito me ofereceu duas Sete-Galo muito boas, uma 73 e outra 75, a troco da minha 400 Four…Não me fiz de rogado, pedi uma boa volta em grana pra não fazer negócio, e não é que o doido topou ??
    Saí da casa dele de 750 Four com grana no bolso e depois fui buscar a outra moto que veio no rolo dessa transação…Se colocasse no papel, tive um lucro de quase 80% do valor que eu paguei na 400 Four, depois de vender as duas Sete-Galo !!!
    Naqueles tempos eu vivia disso,parecia coisa de moleque que namora a garota mais linda e gostosa do pedaço, dá uns bons amassos nela e depois passa pra frente, hahahahah !!
    Mas ainda tenho muitas saudades de minha 400 Four…

    PS: depois do falecimento do dono dessa incrível coleção, seu filho, meu amigo, vendeu todas as motos zero km. para a Honda do Japão, isso em meados dos anos 90…Hoje a concessionária não é mais da familia, foi vendida para a Japauto, rede de lojas em SP.

  8. Nikollas Ramos disse:

    Mário, me lembro bem quando você me contou essa história, ao telefone (quanto tempo não te ligo!) há mais de um ano atrás. Na verdade, até me lembrei dela, ao escrever o post.

    Grecchi, larga de ser chato. Vou lá pro seu blog agora te infernizar também!

    Pra quem quiser perturbar ele, o endereço da caverna é esse, ó: http://v8andvintage.wordpress.com/

  9. Nikollas Ramos disse:

    Aliás, Buzian, tu que é o cara das vitrolas e V8, aparece lá que acho que tu e Grecchi talvez sejam almas gêmeas! Vão gostar de música e V8 (olha a cacofonia aí!) assim lá longe!

  10. Mário Buzian disse:

    Nik,

    Eu suspeitava que já havia te contado esse “causo’, rsrsrsrs !!!
    Faz tempo que a gente não se fala mesmo, hein ??
    Melhor seria ao vivo, claro…
    Quanto ao Blog do Grecchi, ele já está há tempos nos Meus Favoritos !!
    Muito bom mesmo !!!
    Putz, quando for ao rio vou ter de reservar alguns dias a mais e dormir direto por uma semana, pois aí a coisa vai pegar, revezamento 4X100 nos papos, visitas & brejas, hahahah !!!

  11. Nikollas Ramos disse:

    Nem ouse, nem sonhe, nem cogite vir ao Rio, principalmente se com a família, sem me reservar uns dois dias. Tô de olho, hein? RSRSRSRS!

  12. Luiz MelloSampayo disse:

    Em Porto Alegre, nos 80s, na que foi a primeira Loja exclusiva para revenda de carros veteranos, ví entre outras preciosidades, uma caixa de madeira da Ford Motor Co contendo um “T” desmontado, de 1917, se não me falha a memória. No comentário do sr MBuzian foi citada a H-sport400four; lembro de vê-las em arrancadas nas competições informais dos 70s, passavam pelo KM com seu piloto dando uma olhadela nas temidas Y-350, mas pelos retrovisores. Tive uma H-CB350four73, era o oposto, serena demais oq me motivou a trocá-la por uma CB500four74 que com seu ruído característico de F1 deixou mts saudades.

  13. roberto zullino disse:

    Por mim essas Nortons continuavam na caixa. Os caras já estavam no bico do corvo e cismaram de modernizar o motor e mexer onde não deviam. Inclinaram os cilindros, mas o virabrequim acabava jogando muito óleo no pistão e tiveram que colocar uns anéis de nylon que duravam 5000 km. As jostas acabavam gastando mais óleo que gasolina e o pessoal ficava puto e jogava fora. Deu a maior merda, por isso esse cara deve ter guardado,não queria problema.
    Até que vieram muitas Comando para cá, a maioria acabou no lixo. Depois alguém resolveu o problema e se tornou uma boa moto, mas era tarde, a fabrica já tinha ido para o saco. Hoje fabricam uma Norton Comando com o nome Norvil, mas é cara.
    Guiei muito uma Comando e tirando esse problema de motor, a ciclística era anos luz na frente das japonesas, principalmente a 750 Honda que só consegue não ser pior que a Kawasaki H1 500 tricilíndrica, essa última escolhida como uma das piores motos jamais fabricadas, disputando com a Vincent HRD 1000, a black widow, essa matava sem a menor piedade, compraram para polícia rodoviária e não sobrou um guarda para contar a história. Tive as duas e até hoje não sei qual é pior, mas em defesa da Vincent deve-se falar que é uma moto dos anos 50 e a Kawa do final dos anos 60, dez anos no mínimo.
    Moto boa é moto nova, as motocicletas melhoraram muito mais que os carros.Tenho uma Honda CB 350 1973 com 26 mil kms originais e me admiro como andávamos em uma merda tão grande, não freia, não faz curva, só tem um motorzinho confiável e robusto, mas como moto só uso para ir na padaria.

  14. roberto zullino disse:

    Esqueci de falar de outra coisa que acontecia com as Comando. Por ter um ciclística muito boa ela usava umas borrachas na balança traseira que se desgastavam em pouco tempo transformando a moto em uma cadeira elétrica. Balançava muito, mas se o piloto se acostumasse não ia para o chão, acabava andando igual. No entanto, a maioria não tem essa paciência ou mesmo o talento para aguentar isso.
    O que aconteceu com as Comando foi que apesar do produto ser bem pensado e superior a qualidade de fabricaçao de algumas coisas comprometiam o conjunto.
    Hoje em dia com os novos materiais esses problemas de motor e suspensão seriam facilmente resolvidos por alguém competente e se teria uma excelente motocicleta, a menos da parte elétrica Lucas, The Prince of Darkness. O farol funciona perfeitamente de dia, quando começa escurecer já vai apagando, afinal, onde já se viu andar de farol aceso de noite incomodando os outros. Piscas são só enfeite, mas no geral a moto é muito robusta.

  15. ricardo correia disse:

    procuro suporte matricula moto matcheless c/ farolim de luz matcheless 500 cm3 ano 1956 modelo g80

  16. carretinha para moto disse:

    Moto muito boa para a cidade e para pequenas viagens… eu nunca tive muita segurança em fazer viagens longas pois sempre pensei na ‘idade’ da moto. Quem tem uma clássica como essa sabe que não é moto para ‘dar pau’ mas sim moto para curtir.

    Danilo

  17. Haroldo José Gonçalves disse:

    Caro Roberto Zullino.
    Eu tenho uma Commando Fastback e já tivemos outras duas (Interstate e Fastback) e não concordo com o que você fala a respeito do motor.
    Anéis de Nylon, onde você tirou isso, os anéis são como todos os outros aço e ferro fundido, eu mesmo reformei a minha, por isso conheço bem esta moto.
    Com relação a as borrachas da balança traseira eu vou esclarecer.
    A Commando usa um sistema de coxins no motor para isolar a vibração, por isso você anda com a moto com zero de vibração, as motos modernas usam balanceadores mecânicos que roubam potencia do motor.
    Na época os coxins em cima do motor quebravam e os mendigos para economizar punha o coxim do radiador do Passat ou um da Kombi que não durava nada, o meu nunca quebrou, uso o original.
    Realmente quando os coxins dianteiro desgastam a roda traseira tende a copiar as imperfeições do asfalto e da um baita susto, so que peças gastas devem ser trocadas até onde eu sei.
    Na minha eu usei o sistema adotado em 1974 chama Vernier, o coxim é ajustado com uma rosca e não com arruelas, isso permite um ajuste mais fino o resultado é uma moto grande sem vibrações e fazendo curva como uma Ducati de pista.
    Realmente o alternador não é potente para a moto (120 Watts), mas com o motor girando agüenta normalmente o farol da potencia original, o problema é para pegar com a bateria fraca, mas para isso foi adotado o alternador com ímã permanente que não gasta energia para gerar energia, se zerar a bateria você vai pedalando a cada pedalada gera um pouco, quando der a primeira faísca o motor já pega.
    Novamente esclarecendo, quando o rotor de ímã permanente é retirado deve ficar dentro do próprio alternador porque se não enfraquece ai não vai gerar nada.
    Outra característica da Commando é o quadro é de cromo molibdênio como as Ducati modernas, pesa tão pouco que da para levantar com o dedo mindinho, isso e outras coisas resultam em uma 750 com o peso de uma CB400.
    O que realmente é ruim é o tanque de fibra de vidro, que com o tempo vaza por não agüentar a gasolina, acredito que onde a gasolina seja realmente gasolina isso não acontece porque nunca vi um gringo reclamar disso, na minha eu coloquei um tanque de alumínio.
    Na verdade a Norton Commando é uma moto com soluções refinadas, não é uma moto para se amarrar com arame ou fazer adaptações como as Norton anteriores permitiam.
    Minha Norton Fastback
    http://www.motosclassicas70.com.br/pap_Norton_Commando.htm

    Haroldo José Gonçalves

  18. CHARLIE COD; BICHO GRILLO disse:

    pena que pessoas que tem um poder aquisitivo maior que os outra acham que tudo que o dinheiro pode comprar são deles mas eles tem tudo menos duas coisa a vida eterna para desfrutar dessas coisas que fazem parte do egoismo, arrogância dele mesmo o sem nem pigo de amor no coração ao ser possuídos pelo materialismo dessa sociedade corrupta e sem valor a si propiá

  19. CHARLIE COD; BICHO GRILLO disse:

    IA ME ESQUECENDO AQUI EM SÃO PAULO NA ANTIGA FABRICA DE BICICLETA CALOI QUE O PRÉDIO FICA NA MARGINAL PINHEIRO NA RUA GUIDO CALOI FORO ENCONTRADAS UMAS QUATRO OU CINCOS JAWA NAS CAIXAS ESPERANDO O PRIMEIRO FUNCIONAMENTO, AGORA EU LHE PERGUNTO AONDE ESTÃO ESSAS MOTOCICLETAS

  20. zappa disse:

    zulino
    esta historia de moto q mata , so mata quem ñ tem braço, ou ñ nasceu motociclista, sim pq a gente nasce motociclista e ñ se transforma em um durante a vida, tive 2 viuvas negras 350 73 e 75, ainda estou p aki, ja tive norton ( alias aneis de nylon heheheheh) ajs, matchless, royal, bsa,hrd vincente que é uma obra prima do motociclismo,bmw, zundapp c cambio na mão, hj tenho 2 teneres, 1 sahara , 1 tdm 850…. tenho mais de 1milhão de km rodados p td o brasil e america latina, e devemos agradecer e ñ criticar quem teve o cuidado de guardar estas norton’s e resistiu a tentação de coloca-las nas ruas so p dar uma voltinha, são estas pessoas q são importantes p nossa historia, ou alguem aki ñ gostaria de abrir uma destas caixas e ver uma maquina destas novinha em folha….acredito q nenhum dos autores dos comentarios acima teria a capacidade de guardar estas motos p tanto tempo……

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s