Aproveite o IPI reduzido e se enforque

Tenho andado um pouco irritado com tanta oferta para se comprar um carro novo. É a última moda.

Acima, mais um kick off para um dia de vendas: motivação, garra e energia para fisgar o cliente. Ainda hoje é assim, todo santo dia o gerente instiga a equipe de vendas atrás de pessoas como você.

A mídia está marcando em cima, querem nosso dinheiro a qualquer preço. Os cadernos de automóveis engordaram em muitas páginas, na TV só o que se vê é um chororô generalizado das montadoras. Os reclames batem na mesma tecla, a de que o incentivo do governo, que reuduziu o IPI sobre automóveis, acaba este mês e que você, trabalhador assalariado e endividado, deve se enforcar mais um pouquinho pois a corda é longa.

Vale tudo para pegar o incauto. Reparou no pônei no meio da loja, que gracinha? Depois ninguém sabe por que o Edsel foi um fracasso de vendas…

Até andei olhando uma ou duas concessionárias, mas adoro dizer não nestes momentos de euforia coletiva. Me sinto nesta obrigação, aliás, a de resistir. Por princípio mas também por que esta não é a melhor oportunidade para mim, ora bolas! E aturar a empáfia dos vendedores está difícil, eles estão impossíveis. Também, com a quantidade de clientes a seus pés, não é para menos.

Fazemos qualquer negócio! É o que se lê nas placas acima. Te parece familiar?

E assim o pobre do trabalhador brasileiro financia seu ingresso no paraíso do consumo capitalista, irresponsável e vão. Volta pra casa com um sonho e um carnê de 82 páginas onde quanto mais distante da primeira folha, maior será o arrependimento e o sofrimento de muitos dos que estão embarcando nessa sem o devido planejamento e responsabilidade. Se a bolha dos americanos foram os imóveis, talvez a nossa seja o automóvel zero.

Nisso eles mudaram bastante. Hoje eles plantam nas calçadas moças de 20 anos em trajes sumários se requebrando para atrair a sua atenção e a ira das esposas.

Mas sempre foi assim, desde o início. Billy Durant inventou esse negócio todo quando ainda vendia carruagens. Tal qual o Walter Clark na Rede Globo, anos mais tarde, ele definiu um negócio de forma tão competente e organizada que sua técnica de vender carruagens ou automóveis é mais ou menos a mesma até hoje.

“- Vê aquele parafuso? É por esse motivo que você deve trocar de carro este ano, novamente.”

Bom, só escrevo isso por necessidade fisiológica e para mostrar o negócio de carros novos, antigamente, em fotos que tenho aqui da LIFE, com a graça do big brother Google. Parecem familiar? E são. Em qualquer agência do Brasil de ontem e de hoje, todos os elementos abaixo, que fazem parte do business de se vender automóveis, está presente. O argumento hoje é o IPI reduzido, ontem não era, amanhã será outro. E os pobres aqui no meio, dormindo com um carnê tão grande que serve de travesseiro, sem garantia de bons sonhos.

Abaixo, mais algumas fotos antigas do tempo em que se comprava carro sem precisar ter dinheiro, na América do Norte. Mais ou menos como no Brasil de hoje. Vamos ver no que vai dar.

.

Anúncios

5 comentários sobre “Aproveite o IPI reduzido e se enforque

  1. Nanael Soubaim disse:

    Vendedores de carros não gostam de mim, eu sei que o Fiat 147 é fabricado ainda hoje com o nome de Mille, basta ver a mecânica e a plataforma. Que bloquear o doferencial ajuda muito, mas a tração dianteira não é páreo para um porta-malas lotado. Que uma troca de nome não transforma Astra em Vectra nem lhe dá a mesma estabilidade. Que noutros tempos se trocava de carro para não ficar para trás, hoje é porque ele tem prazo de validade, se expirar ele desmancha mesmo.

  2. Sérgio Gomes disse:

    Parabéns pelo alerta. Não vale a pena antecipar a compra de um carro por míseros pontos percentuais de desconto no IPI, se não for a hora da troca. É jogar com o sentimento nativista de que é preciso levar vantagem em tudo. Além disso,se o novo está mais barato, o seu usado (sempre é dado em troca ou vendido um usado para a compra do novo) também vale menos. Está em curso o maior programa de transferência de renda dos assalariados em geral para o setor automotivo.
    Concordo que a nossa crise de inadimplência pode vir do automóvel, em lugar do financiamento imobiliário, como nos Estados Unidos. Todo mundo paga juros para ter o carro novo que ao final do financiamento, valerá certamente bem menos do que o montante pago. Da mesma forma que nos EUA se comprava um segundo imóvel para refinanciar a dívida, tivemos (e temos) aqui um esquema parecido, o “troca com troco”. Precisa de dinheiro? É fácil. Dê seu carro e saia com dinheiro e de carro zero. Não diz o ditado que não existe almoço grátis? Os vendedores de carros querem nos convencer que existe, sim.

  3. Carros Antigos disse:

    Pois é, Sérgio, conheço algumas pessoas, de B a D, que estão recebendo visita de oficial de justiça na hora de ir trabalhar. Chato, mas é o preço do almoço grátis. ;)

  4. Mário Buzian disse:

    Nik, o que dizer dessas imagens sensacionais ??
    Só te digo uma coisa: certamente eu sou um desses senhores reencarnado em 1969, pois além da fixação dessa época, eu também sou um vendedor de carros nato, não adianta mudar de ramo, o vício é sempre o mesmo !!!
    Valeu por mais um texto brilhante com imagens incríveis !!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s