Mal chegou, quis ver o mar

Estou ainda nos embalos do veludo azul e dos cromados, que aliás acabei de polir. Muito pouco a dizer, tudo para aprender, sentir e curtir. Vamos devagar e em frente.

A foto é de ontem, plena sexta feira à tarde, praia de Piratininga… Ao fundo, Urca, Pão de Acúcar, Dois Irmãos, Gávea. Ele está de volta ao Rio. De vez.

P1050644

Anúncios

22 comentários sobre “Mal chegou, quis ver o mar

  1. Nanael Soubaim disse:

    Não fosse a placa, quem diria que não foi colorizada? Só faltou gente com indumentária da época, mas vale uma ampliação e uma moldura.

  2. Mário Buzian disse:

    Sensacional !!!
    Dá gosto ter um Ford…
    E que gosto bom realizar aquele sonho !!!!

  3. Nikollas Ramos disse:

    Sim, sem dúvida. Andar sobre alguma coisa dos anos 50 – 40 se for olhar a origem dele – é uma sensação única. Estamos todos aqui em casa apaixonados pelo Ford, Tales nem se fala. Alê adorou o espaço, ontem insinuou algo sobre “como era fácil ter famílias maiores antigamente com carros tão espaçosos” e eu, Tales e Beatriz fingimos que não entendemos o que ela queria dizer…
    No mais, só alegria. Recomendo a todos.
    Nanael, pode emoldurar. Vou postar outras aqui depois.
    Abraço, Nik.

  4. André Grigorevski disse:

    Dizer o que? Fantástico!!!!

    A essa hora de domingo (e ensolarado como está), o Ford já deve ter implorado por um novo passeio pela praia. E o Nik certamente está atendendo o pedido.

  5. MAKINETA disse:

    NIK.
    O CARRO ERA NESSA EPOCA MAIS QUE UM OBJETO ERA UM MEMBRO DA FAMILIA E UMA BANDEIRA DA CONQUISTA DO TRABALHO.
    SÓ ERA USADO PARA OCASIOES ESPECIAIS.

    AGORA ELE VOLTA A TER UMA FAMILIA ESPECIAL
    PARABENS! ELE É UM SOBREVIVENTE…

    PENSE QUE ALGUEM TEVE DE ESCUTAR MUITA PIADA SOBRE O CARRO SER OBSOLETO…E QUESTINAR PORQUE AINDA TEIMAVA EM EXISTIR…

  6. Nikollas Ramos disse:

    Sim, Alberto, eu sei disso. E hoje, olhando ele com calma, vi como conservado está a estrutura dele, portas, fundos, chassi. Muitos trataram este carro com carinho, ele não teria sobrevivido desta forma sem muito apego, dedicação e zelo. Isso dá um conforto, uma segurança boa, um ânimo. De continuar, aproveitar que tudo passa tão rápido.

  7. Bento disse:

    Meus parabéns!

    O 51 também é um dos meus Ford preferidos. Espero que você coloque muitas fotos dessa máquina por aqui. Inclusive da parte interna, que acho muito bonita.

    Abraços do Bento

  8. Nikollas Ramos disse:

    Vou postar sim, Bento, prometo. Faltou tempo. Andei um pouco, limpei e alisei e esfreguei muito, enfim, estou me divertindo. E admirado com a estrutura do carro. É impressionante para uma quase sessentão. Deve ser por que é Ford… ;)
    Abraço, Nik.

  9. Bento disse:

    Nikollas,

    Esses carros eram construídos para durar. Se não chegaram muitos aos dias de hoje não foi pela falta de qualidade, mas porque a maioria das pessoas apenas troca de carro, não se apega aos mesmos como nós “malucos” fazemos, daí a maioria ter se perdido. Uma pena.

    Gosto muito da estrutura chassi/ carroceria separados. Faz uma grande diferença! Além do maravilhoso Flathead que tem debaixo do capô.

    Você sabe se vieram para o Brasil esses modelos Ford 51 com a transmissão Ford-O-Matic??? Ouvi falar que foi a primeira transmissão automática fabricada pela Ford.

    Um grande abraço,

    Bento

  10. Nikollas Ramos disse:

    Bento, 51 foi o primeiro ano da Fordomatic sim e, se não me engano, o 51 coupê azul que estava em Lindóia este ano era automático sim. Um muito bonito, por sinal. Vou resgatar as fotos. Mesmo assim, não há motivo para elas não terem vindo pra cá, apesar de crer que elas tenham sido evitadas pelo comprador médio, pelas dificuldades de manutenção de então, deduzo. Mas a pergunta é interessante, eu mesmo outro dia pensei a respeito e agora quem sabe não descobrimos mais sobre isso? Vou contar tão logo descubra.
    A idéia do chassis é interessante sim, estou fascinando com os trilhos de trem embaixo do meu carro. Me sinto um legítimo ferroviário da RFFSA pelas ruas de Itaipu! Piuiiii!!!! ;)

  11. Bento disse:

    Nikollas,

    Agora você vai ter que aguentar todo mundo que fica batendo nos pára-lamas do seu 51 e dizendo: Isso sim que era lataria!!!!

    Acho que a construção monobloco, apesar de suas apregoadas vantagens, não chega aos pés do chassi/carroceria separados, pois em matéria de robustez e conforto, ainda não inventaram nada parecido. E com certeza nem vão inventar, pois carros assim não interessam mais às fabricas. Mas isso é outra história né…

    Gostaria muito de saber quantos Ford “shoebox” vieram para o Brasil, bem como os opcionais que trazim na época. Onde será que conseguimos informações como essas hein???

    Meu vô (atualmente ele está com 90 anos) trabalhava no Ipiranga, bairro aqui de SP onde a Ford tinha uma fábrica de caminhões, e ele sempre falava desse modelo, em especial o 51, que era um senhor carro, bonito e tudo o mais. Pelas suas histórias, acho que a Ford importou vários para uso de seus funcionários mais graduados, provavelmente alguns deveriam ter transmissão automática. Sempre houve um preconceito besta dos brasileiros em relação à este tipo de transmissão, acho que principalmente pela falta de mão de obra especializada e peças de reposição. Mal que assola tanto proprietários de carros antigos quanto dos modernos.

    Gostaria tanto que ele tivesse comprado um desses para ficar na família…

    Até mais,

    Bento

  12. Nikollas Ramos disse:

    No primeiro dia, na primeira volta com o Ford, estava eu parado na beira do mar em Itacoatiara, e passa um cidadão, olha pro carro, dá meia volta e estaciona atrás. Pensei logo que era mais um “antigo-chato”, auqele dos tapinhas na lata, mas que nada. Ele me perguntou “é um Ford 51, não é?” e eu tive que me arrepender do mau juízo que fiz e ele me disse que o pai teve um, que adorava o carro, que era a paixão da vida dele e que pena que o filho não se interessa por isso. Tirou uma foto e foi embora. Ford 1×0 logo no primeiro passeio.
    Conto isso para mostrar como os Fords 49/51 foram populares no Brasil especialmente na população urbana de classe média alta que podia se dar ao luxo de ter um automóvel, eles eram a escolha certa. Os filhos deste compradores são hoje homens com 50/60 anos de idade que guardam as melhores memórias possíveis daqueles dias, veja o caso do Rui Pastor aqui no blog mesmo.
    Quantos vieram eu não sei, mas seguramente foram muitos. Será que a ANFAVEA teria isso? A Ford nem pensar, mas eles talvez.
    Quanto ao seu avô, ele não teria fotos da época? Imagino quantas histórias ele não têm pra contar. Quantas! Se quiser me mandar algumas, fique à vontade que isso que gosto: ouvir e ler histórias do passado.

  13. Bento disse:

    Nikollas,

    Meu vô era motorista, então ele tem algumas fotos que tiraram ao lado de caminhões, pick-ups e furgões que fazima parte da frota da Linhas Corrente, fábrica na qual ele trabalhou quase 40 anos.

    Vou tentar pegá-las emprestado para escanear e tentar mandar aí para você.

    Sou amigão do Lindeberg, o famoso Tio Lin. Ele também é um fã de fotos de época. Se eu não conseguir, acho que ele tem as manhas.

    Um grande abraço,

    Bento

  14. Nikollas Ramos disse:

    Lindeberg? Claro que conheço, já vi boas fotos dele por aí, algumas até no blog do Guilherme. Tenta digitalizar sim, é uma forma de preservamos estas histórias.

  15. Cassio Felipe disse:

    ola amigo, descobri seu blog hoje por acaso! Fiquei admirado pela paixao que vc tem pelo ford, também tenho um 1951 e fui criado a minha vida inteira em meio á mustangs, camaros, pontiacs, mavericks e claro, uns 9 ford 1951… O atual ( e 25 anos com a gente) nao esta mais original, esta da maneira que queriamos, alias se vc ouviu falar do encontro brasil curitiba roadsters de hot rods, nosso carrinho estava la.. enfim… parabens pelo blog, e boa sorte com o fordão!
    abraços

  16. Nikollas Ramos disse:

    Cassio, seja bem vindo. E aproveito para pedir fotos do seu Ford que, imagino, têm muitas histórias. Mande as fotos que eu vou, oportunamente, organizar uma galeria com fotos dos shoebox brasileiros. Já tenho dois modelos, e o seu têm lugar reservado. Se quiser contar algumas histórias junto com as fotos, fique à vontade, publicarei tudo aqui com muito prazer.
    Abraço, Nik.

  17. Cassio Felipe disse:

    ola nik… se vc me mandar seu email fica mais facil nao? obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s