Gurgel: a morte de um empreendedor

Abaixo a matéria do jornal O Globo sobre o falecimento do Sr. João Gurgel, que eu achei interessante e digna de compartilhar com você. Interessante pela cronologia dos fatos da vida deste grande brasileiro, mas também pelo detalhe da chamada da matéria: para os editores de O Globo, o Sr. João Gurgel foi um aventureiro… Uma pena que tantos anos depois do fim da Gurgel que esse tipo de opinião sobre o carro brasileiro ainda sobrevivam.

Não vou tomar seu tempo falando o óbvio, apenas propor uma reflexão: A Gurgel deu errado no momento em que seu produto podia deslanchar e competir com o de outras montadoras. Nosso governo na época não fez nada para dar a ele a competitividade nem força necessárias para confrontar as montadoras alemãs e americanas instaladas aqui, ao contrário. E por quê?

Enquanto isso, num país ao norte, o governo recém empossado de Barack Obama aprova empréstimos a fundo perdido de bilhões de dólares do contribuinte para salvar as mesmas Chrysler, General Motors e Ford que foram algozes do Sr. João Gurgel.

Não é curioso? O produto do Sr. Gurgel era inovador e muitas vezes revolucionário. Ele foi a vanguarda e, como deve ser nesses casos, vítima do ódio de quem não têm compromisso com a inovação e o progresso.

Onde ele estiver, ele deve estar rindo de nós agora. Da GM então…

joão gurgel falecimento

Clique sobre a imagema para ampliar. Mas o arquivo é grande: 2.3 Mb.

Anúncios

3 comentários sobre “Gurgel: a morte de um empreendedor

  1. Luís Augusto Malta disse:

    Na minha opinião, a Gurgel não foi vítima apenas de grupos poderosos (vc não citou a Fiat, que lançou o Mille na esteira dos benefícios no BR-800), mas do próprio governo brasileiro, sempre fraco e pronto a se prostituir, lançando empreendimentos de valor na jaula dos leões sem a menor proteção. Penso que os grandes grupos estão no papel deles ao proteger seus interesses, mas eles tiveram limites para atuar na Rússia, na Coréia e, ultimamente, na China, países que têm marcas próprias e tecnologia própria que foram desenvolvidas muito depois da criação da Gurgel, da Ibap, da Brasinca, da Puma e por aí vai. A diferença para as brasileiras? Governos fortes, na minha opinião. Abraços

  2. Fenix AeroRocker disse:

    Nem “Ordem”
    tampouco o ” Progresso”

    abraços
    Fênix AeroRocker

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s