A história do Dodge Dart

Eu adoro os Dodge, principalmente o Dart e seus derivados, fabricados no Brasil. Foi em sua época caso único de automóvel vendido aqui na mesma configuração que nos EUA, no mesmo ano de seu lançamento. Gerou filhos belíssimos ( como o R/T para 1971) e o único legítimo muscle car brasileiro, o Dodge Dart SE. Escrevi este artigo para contar a história desse grande carro. Ele será publicado em 3 partes, de acordo com a própria cronologia do modelo nos EUA.

A História do Dodge Dart – 1960 a 1962

por Nikollas Ramos

Introdução

O Dodge Dart foi produzido nos Estados Unidos pela Dodge, uma divisão da Chrysler Corporation, entre 1960 e 1976. Foi apresentado ao mercado como um Dodge “full-size” de preço acessível, para os anos de 1960 e 1961. Tornou-se um “mid-size” em 1962 para finalmente assumir seu tamanho “compacto” no ano seguinte, o que durou até o fim da sua produção, em 1976.

O nome Dodge Dart aparece pela primeira vez em 1956, como um carro conceito de linhas acentuadas e excêntricas, mas sem qualquer relação com o modelo que seria lançado quatro anos mais tarde.

Um carro conceito: Dodge Dart em 1956

1960

No ano de seu lançamento, o Dart (hardtop com 4 portas) serviu para brigar pelo mercado dominado pelos Chevrolet Impala, Ford Galaxie e Plymouth Fury.

Dodge Dart 1960 hardtop 4 portas

Este primeiro Dart era um modelo “full-size” baseado na plataforma C da Chyrsler (C body) , desenvolvido para substituir o Plymouth como o automóvel de baixo custo para a rede de concessionárias Dodge. Os revendedores da Dodge estavam vendendo Plymouths desde os anos 30, mas mudanças na estrutura da Corporation tiraram da rede a linha de carros Plymouth do seu catálogo.

O Dart, apesar de ser um modelo “full-size”, tinha uma distância entre eixos ligeiramente menor que outros Dodge da mesma categoria, e era baseado na plataforma do Valiant, lançado no ano anterior.

Plymouth Valiant

Valliant era uma marca autônoma, como Dodge, mas ainda em 1960 seria incorporada à Plymouth, por conta das grandes trabsformações que marcaram o período.

A linha Dart era dividida em três níveis de acabamento: o modelo de entrada, chamado Seneca; o intermediário Pioneer, e o sofisticado Phoenix.

Dodge Dart Seneca

Dodge Dart Pioneer

Dodge Dart Phoenix

Introduzido como modelo 1960, o Dart rapidamente se provou como uma bem pensada jogada de marketing. Suas vendas ultrapassaram as dos outros modelos “full-size” como Dodge Matador e Dodge Polara, mas isso também significou um concorrente doméstico para os Plymouth. Em anúncios da época, o Dart chega a ser comparado aos carros “C” (Chevrolet), “F” (Ford) e “P” (Plymouth).

Dodge Matador 1960

Dodge Matador 1960

Dodge Polara 1960

Enquanto as vendas do Dart cresciam, as dos Plymouth despencavam, e os executivos da Corporation nada fizeram para dar um fim a essa disputa doméstica entre as marcas. As vendas do Dart foram tão boas em 1960 que a Dodge teve que rever rapidamente toda a sua linha de carros para a mesma faixa de preços. Como resultado, o Dodge Matador foi descontinuado ainda em 1960, em virtude da preferência dos consumidores pelo mais bem posicionado, e barato, Dart Pioneer. O Polara permanece, sozinho, na luta por espaço neste disputado segmento.

Todos os modelos era oferecidos com o pacote D500 de opicionais da Dodge, que incluia o motor V8 de 361 polegadas cúbicas (c.i.).

Dodge Dart com o kit de opcionais D500

O motor V8 de 361 c.i. do pacote D500

1961

Em 1961 o Dart ainda é o menor modelo “full-size” da Dodge, e surge reestilizado para parecer – e não copiar – o veterano Dodge Polara. Os modelos para este ano permanecem os mesmos: Seneca, Pioneer e Phoenix.

Dodge Dart Seneca 1961

Dodge Dart Seneca 1961

Dodge Dart Pioneer 1961

Dodge Dart Pioneer 1961

Dodge Dart Phoenix 1961

Dodge Dart Phoenix 1961

As opções de motores começavam com o novo 6 cilindros em linha para 1960 de 3.7 litros (225 c.i.). Os V8 de 318 c.i. e 361 c.i. também estavam disponíveis em diversas configurações. Todos os conversíveis Phoenix eram equipados com motores V8. A partir da metade de 1960, alguns Darts com o motor 6 cilindros receberam blocos de alumínio. Como padrão, todas as séries eram equipadas com transmissão manual de 3 marchas, acionadas na coluna de direção. A transmissão TorqueFlite, acionada por botões, podia ser encomendada como opcional, a um custo extra.

O Dart Phoenix conversivel para 1961

O Dart Phoenix conversível para 1961

Mesmo com o sucesso do primeiro ano, as linhas dos Dart (assiandas por ninguém menos que Virgil Exner) se tornavam rapidamente impopulares com os consumidores; o forward look dos anos 50 perdia rapidamente o seu apelo.

A era do forward look de Virgil Exner

A era do forward look de Virgil Exner

Por exemplo, houve uma forte rejeição à posição das lanternas do Dart; motoristas em outros carros reclamavam que eles não conseguiam enxergar as minúsculas lâmpadas posicionadas logo acima dos pára-choques traseiros. É que elas foram concebidas em linhas envolventes, que abraçavam o carro até sua lateral, como forma de dar visibilidade lateral à noite. Como a maior parte dela estava invisível na traseira do carro, em meados de 1961 a Dodge foi forçada a oferecer luzes auxiliares através de sua rede de concessionárias, cobrando seus clientes por isso. Para piorar, as lanternas auxiliares era mal posicionadas na traseira do carro, tornando-o ainda menos interessante e atrativo para seus clientes.

A posição da lanterna no Dart era um problema

Como resultado, a Dodge assistiu as vendas do Dart despencarem 53%, para 142.000 unidades naquele ano. O estilo antiquado do Polara pagou um preço maior, vendendo apenas 14.032 unidades, uma queda de 67% em relação ao ano anterior. Este era apenas o começo das más notícias para a Dodge em 1961. Veja as outras:

· Do total de Darts vendidos, praticamente a metade correspondiam ao modelo mais barato, o Seneca (66.100 unidades).
· Somadas as vendas do Dart e do Polara, elas ainda eram menores que os números da Plymouth para 1961.
· A Dodge fecharia o ano em 9º lugar em vendas no mercado americano, uma queda do 6º lugar do ano anterior.
· As vendas do compacto Dodge Lancer foram de 74.773 unidades. Seu par na divisão Plymouth, o Valiant, vendeu 143.078 unidades no mesmo ano.

O Dodge Lancer para 1961

O Dodge Lancer para 1961...

... e o Dodge polara, para o mesmo ano.

... e o Dodge polara, para o mesmo ano.

A Dodge termina 1961 vendo suas vendas ainda menores que o ano de 1959, um dos piores da indústria americana, e por isso perigosamente muito perto dos números de 1958, ano da trágica recessão Eisenhower.

1962

Para 1962, como parte do esforço da Chrysler de se manter competitiva frente à nova linha de mid-sizes da Chevrolet, o Dart foi rebaixado de categoria. A Chevrolet realmente lançou um genuino full-size, e com isso o Dart passou a ser percebido mais como um modelo intermediário do que como propriamente um caro de sua categoria. O Polara recebe a mesma alteração do Dart, mas passa a ser oferecido com um acabamento melhor.

O novo Dodge Dart para 1962

O novo Dodge Dart para 1962

E seu primo, o Dodge polara.

E seu primo, o Dodge polara.

As concessionárias da Dodge reclamam por não terem um modelo maior para oferecer ao consumidor. Para acalmar os ânimos de sua rede de distribuidores, a Chrysler apressadamente lança o Dodge Custom 880, mantendo a dianteira do Polara 1961 na carroceria redesenhada do Chrysler Newport 1962. Debutando em janeiro de 1962, o Dodge Custom 880 serviu para lembrar aos revendedores que a Dodge tinha a oferecer, sim, um respeitável full-size.

Dodge Custom 880

Dodge Custom 880

Chrysler Newport

O doador: Chrysler Newport

Deixando o estilo de lado, o novo Dart tinha um monobloco leve e moderno, com as bem recebidas barras de torção para a suspensão dianteira. Isso conferiu muita rigidez ao conjunto, maior capacidade de frenagem, aceleração e dirigibilidade, por conta ainda do motor V8 de 413 c.i. Super Stock e seus 415 Hp. Esta plataforma era tão boa que a Chrysler a utilizou até 1979 em diversos outros modelos.

Os padrões definidos pelos modelos Seneca, Pioneer e Phoenix deixaram de existir em 1962. A aprtir de agora, os modelos do Dart seriam o Dart, Dart 330, Dart 440, e Dodge Polara 500. Este era oferecido como conversível e hardtop de duas portas, em dezembro daquele ano.

Dodge Dart 1962

Dodge Dart 1962

Dodge Dart 440 conversivel

Dodge Dart 440 conversível

Reprodução total permitida, mas não deixe de citar a fonte, por favor.

www.carrosantigos.wordpress.com

14 comentários sobre “A história do Dodge Dart

  1. Pingback: A história do Dodge Dart « Carros Antigos

  2. João Carlos Ponchini

    Parabens pela coleção de todos os carros maravilha, verdadeiras joias.
    Gostaria de receber fotos maquinas charge rt , a anos que não as vejo,
    aqui em Franca sempre tem encontro de carros antigos, vou a todos encontros mas infelismente todos comentam que o RT é dificil de encontrar, quem sabe tenho a sorte de tornar a ve-lo em meu email

  3. carrosantigos Autor do post

    João, por acaso, acaso mesmo, vou postar já já umas fotos de um amigo, que recebi esta semana, com um Charger R/T 71 que, para mim, é dos mais lindos carros jamais fabricados. Para semana que vêm, vou postar fotos do filme do Roberto Carlos, em que ele dirigia o mesmo carro. Me dá uns minutos, que eu tô postando isso. Abraço, e grato pela visita. Nik.

  4. Pingback: O melhor site de fotos de carros Antigos « Carros Antigos

  5. ventura

    hola yo tengo un carro dodge dart modelo 74 lo compre en muy malas condiciones de la pintura . mi prgunta es que colos le queda al carro porque es un carro clacico

  6. VICTOR FERREIRA

    os dodge dart de 60 até 62 são belos mas parece q eles ficaram uns carros de aparencia estranha entre 63 e 64
    mas de 65 em diante melhoraram mesmo assim continuam uma marca q marcou epoca eq por aqui no BRASIL substituiram com muita maestria os simca/esplanadas q tnb eram bons veiculos
    uma ideia boa com essa crise das montadoras americanas a chrysler deveria traze-los de volta

  7. Dioser amral

    Sou louco por carros antigos tenho um dorge adimiro todos apaixonados por v8isto é motor.

  8. rogerio

    A editora Alaude acaba de lançar o livro “Dodge – Esportividade e Potência, escrito por Rogério de Simone e Fábio Pagotto. apresentado oficialmente no Brasil em 10 de dezembro de 1969, o Dodge é um dos carros mais importantes na história da indústria automobilística nacional. Veículo de grande durabilidade e equipado com um poderoso motor V-8, o maior já fabricado no Brasil, o Dodge ainda é desejado por uma legião de colecionadores e fãs. Graças a esse culto, perpetuou-se através das décadas e pode ser encontrado em boas condições de originalidade e funcionalidade até hoje.

    http://www.streetcustoms.com.br/revistas-carros/noticias/lancado-novo-livro-sobre-os-dodge-nacionais.html

  9. César

    Olá, parabéns pelo blog… Teria como perguntar ao dono daquele charger se ele venderia apenas o volante? Meu pai tem um dart mas o volante não é original… OBrigado e por favor me responda por email.
    cesarphd@yahoo.com.br

  10. giliano

    gostei…..mas to mesmo e imteressado vender o meu dodge dart 72 com funcionameto perfeito.e carroseria a uns 90% recibo em branco …nome do falecido.20,000

  11. Affonso Parpinelli

    Legal a matéria. Sou fã de MOPAR, sou apaixonado pelos nossos Dodge Dart e Charger e pesas versões dos EUA também…. O seu blog é MUITO bom! Já sou fã tb! Parabéns e obrigado por compartilhar tanta informação bacana!!! :-)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s